O que o cinema de 2015 tem?

FotorCreated

  Estamos no final de janeiro, e fato é que os lançamentos do cinema desse ano são incríveis! Com filmes das mais diversas opções, todos prometem fazer a gente se sentir à flor da pele nas poltronas. Por isso, listei os melhores em minha opinião. Luz, câmera, confere aí!

  • 50 tons de cinza

Sinopse: Anastasia Steele (Dakota Johnson) é uma estudante de literatura de 21 anos, recatada e virgem. Uma dia ela deve entrevistar para o jornal da faculdade o poderoso magnata Christian Grey (Jamie Dornan). Nasce uma complexa relação entre ambos: com a descoberta amorosa e sexual, Anastasia conhece os prazeres do sadomasoquismo, tornando-se o objeto de submissão do sádico Grey.

Lançamento: 12 de fevereiro.

  • A teoria de tudo

Sinopse: baseado na biografia de Stephen Hawking, o filme mostra como o jovem astrofísico (Eddie Redmayne) fez descobertas importantes sobre o tempo, além de retratar o seu romance com a aluna de Cambridge Jane Wide (Felicity Jones) e a descoberta de uma doença motora degenerativa quando tinha apenas 21 anos.

Lançamento: 29 de janeiro.

  • Simplesmente acontece

Sinopse: os jovens britânicos Rosie (Lily Collins) e Alex (Sam Claflin) são amigos inseparáveis desde a infância, experimentando juntos as dificuldades amorosas, familiares e escolares. Embora exista uma atração entre eles, os dois mantêm a amizade acima de tudo. Um dia, Alex decide aceitar um convite para estudar medicina em Harvard, nos Estados Unidos. A distância entre eles faz com que nasçam os primeiros segredos, enquanto cada um encontra outros namorados e namoradas. Mas o destino continua atraindo Rosie e Alex um ao outro.

Lançamento: 5 de março.

  • Os vingadores 2: a era de Ultron

Sinopse: Com o aparecimento do vilão Ultron, a equipe dos Vingadores tem a missão de neutralizar seus terríveis planos. Alianças complicadas e ação inesperada pavimentam o caminho para uma aventura épica global.

Lançamento: 30 de abril.

  • Cássia Eller

Sinopse: Cássia Rejane Eller. Cássia Eller. Cássia. Uma poderosa força inquieta no palco, a timidez em pessoa fora dele. Um dos grandes nomes da música brasileira, Cássia Eller marcou a década de 1990 e chocou o país com sua morte precoce, em 2001. Um filme sobre a cantora, a mãe, a mulher que expôs sua vida pessoal e rompeu barreiras, deixando um belo legado social e artístico.

Lançamento: 29 de janeiro.

  • Unfriended 

Sinopse: quando um vídeo constrangedor de Laura Barns (Heather Sossaman) cai na internet, a menina tira a própria vida no pátio da escola. Um ano depois, um grupo de seis amigos (Courtney Halverson, Shelley Hennig, Renee Olstead, William Peltz, Moses Jacob Storm e Jacob Wysocki) conversam via Skype e percebem que há uma sétima pessoa desconhecida na vídeoconferência, que revela ser sua ex-colega de classe, Laura, exigindo saber quem postou o vídeo que a levou à morte. Eles pensam que é uma brincadeira mas logo descobrem que há algo estranho, já que a menina começa a revelar segredos dos amigos e os ameaça de morte.

Lançamento: 21 de maio.

  E esses não representam nem metade dos filmes que ganharão vida nas telonas durante 2015. Bem, é melhor ir guardando dinheiro para não perder nenhum!

Os filmes da minha infância…

  Ah, a infância… A melhor época da vida de qualquer pessoa. Porque durante esse período, tudo é épico! Brincadeiras épicas, amigos épicos, músicas épicas e… Filmes mais épicos ainda. Para celebrar os melhores personagens, com as cenas mais bem feitas e as trilhas sonoras mais marcantes… Um especial dos melhores filmes da minha infância!

  • O rei leão

Sinopse: Mufasa, o Rei Leão, e a rainha Sarabi  apresentam ao reino o herdeiro do trono, Simba. O recém-nascido recebe a bênção do sábio babuíno Rafiki, mas ao crescer é envolvido nas artimanhas de seu tio Scar, o invejoso e maquiavélico irmão de Mufasa, que planeja livrar-se do sobrinho e herdar o trono.

  O rei leão é simplesmente um dos filmes mais épicos e emocionantes da Disney. Pois tem romance, aventura e os produtores não economizaram nos lencinhos das crianças, com a terrível morte do Mufasa, que é um dos principais motivos por eu amar tanto esse longa. E claro, também tem os momentos engraçados, com os velhos e únicos Timão e Pumba. Marcou nossa década de 90!

  • Toy Story

Sinopse: o aniversário de Andy está chegando e os brinquedos estão nervosos. Afinal de contas, eles temem que um novo brinquedo possa substituí-los. Liderados por Woody, um caubói que é também o brinquedo predileto de Andy, eles montam uma escuta que lhes permite saber dos presentes ganhos. Entre eles está Buzz Lightyear, o boneco de um patrulheiro espacial, que logo passa a receber mais atenção do garoto. Isto aos poucos gera ciúmes em Woody, que tenta fazer com que ele caia atrás da cama. Só que o plano dá errado e Buzz cai pela janela. É o início da aventura de Woody, que precisa resgatar Buzz também para limpar sua barra com os outros brinquedos

  Mais uma fantástica produção da Disney! E foi o que me ensinou que as melhores amizades são as com maiores adversidades. Além de ser um filme cheio de aventura, eu o adoro por ter seus momentos mais engraçados, e pelos bonequinhos serem tão ironicamente animados e demonstrarem sentimentos, principalmente por seu dono, Andy. Existe amor maior? Acho que não, viu!

  • Pequena Miss Sunshine

Sinopse: nenhuma família é verdadeiramente normal, mas a família Hoover extrapola. O pai desenvolveu um método de auto-ajuda que é um fracasso, o filho mais velho fez voto de silêncio, o cunhado é um professor suicida e o avô foi expulso de uma casa de repouso por usar heroína. Nada funciona para o clã, até que a filha caçula, a desajeitada Olive, é convidada para participar de um concurso de beleza para meninas pré-adolescentes. Durante três dias eles deixam todas as suas diferenças de lado e se unem para atravessar o país numa kombi amarela enferrujada.

  Sem palavras para dizer sobre o quanto eu gosto desse filme e o quanto ele foi bem planejado, bem sacado e passa uma mensagem maravilhosa para os telespectadores. Gosto dele pelo fato de passar tanta coisa boa em um longa só. Bem, esse foi meu primeiro filme em que nem tudo dá certo, e a frustração, a princípio, é dolorosa! Mas logo, me toquei de que concursos de beleza são realmente abusivos e nossa querida Olive era boa demais para estar lá. Sua família é das mais loucas, mas é maravilhosa e mesmo com desentendimentos, todos se unem em prol de um bem comum, que é fazer Olive a Miss Sunshine.

  • A fantástica fábrica de chocolates

 Sinopse: Charlie Bucket é um garoto pobre que vive com os pais (Senhor e Senhora Bucket) e avós (Joe, Georgina e Josephine e George Bucket) numa pequena e miserável casa (provavelmente em Londres). Ele é um grande fã de chocolate, doce que ganha apenas no dia de seu aniversário, e de seu maior fabricante: Willy Wonka, cuja enorme e enigmática fábrica se encontra bem perto de sua casa.

  Talvez, esse seja meu favorito da lista. Afinal, que criança em sã consciência nunca sonhou em passar uma noite na fábrica do Willy Wonka (mais do que passar uma noite no supermercado, inclusive)? Fora isso, a história é totalmente encantadora. Charlie é um garoto incrível e eu também me apaixonei pela metidinha da Verônica… Acho que tem sempre um personagem que queremos ser, né? Haha. Toda a fantasia proporcionada pelo filme deixava meus olhinhos brilhantes, com vontade de rever sempre.

  • As patricinhas de Beverly Hills

Sinopse: Na região de Beverly Hills, uma adolescente de 15 anos, muito popular e rica chamada Cher, filha de uma advogado muito competente, passa seu tempo em conversas fúteis, fazendo compras com Dionne no shopping, namorando e mantendo a bateria do celular sempre carregada. Para aumentar sua nota de debate, ela resolve se envolver num projeto para unir um casal de professores. Quando Tai, uma novata, chega da Costa Leste ela sente que precisa ajudá-la tornando-a popular e acabam se tornam melhores amigas. Com a chegada do enteado de seu pai, Josh muda tudo, quando a crítica de não tomar conhecimento do “mundo real” e quando percebe que está totalmente apaixonada por ele, ela muda seu comportamento, não se interessando mais em fazer compras e ajudando as outras pessoas. Fazendo Josh perceber que ela havia mudado.

 Depois de Sharpay Evans, Cher era minha grande inspiração na infância. Pois mesmo com todas as futilidades de qualquer patricinha de filme norte americano, ela era… Uma pessoa iluminada e tinha uma vida incrível! Que eu, boba que era, adoraria ter. Filmes como esses não eram simples longas para mim (acredito que para outras garotinhas também), pois eles ditavam nosso comportamento. Bendita seja a sessão da tarde de cada dia!

  • Matilda

Sinopse: Matilda é uma garota super dotada de inteligência que desfruta de poderes paranormais. Seus pais, porém, não querem saber dessas belas qualidades da garota, mandando-a para uma escola dirigida por uma cruel e autoritária diretora. Seu único refúgio naquele lugar é a professora Honey, que entende a genialidade da garota e a ajudará o quanto for possível. Logo, Matilda descobre que possui poderes mágicos e que, com eles, pode ajudar a combater a sua diretora junto com sua professora Honey.

  Ah, minha pequena Matilda. O engraçado do efeito desse filme sob minha vida é que eu passei anos da minha infância procurando inspiração nos artistas do momento que agradavam ao público infantil e só depois de crescida, quando adquiri maturidade o bastante, reparei de que eu era uma Matilda. E sim, esse filme significa mais pra mim do que significava na minha própria infância. Seu jeitinho medroso, porém encorajador e sapeca me encantava, e seu gosto por leitura era meu fator favorito. Torci o longa todo pela amável professora Honey, que também tem um enredo incrível e uma personalidade fortíssima.